Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

Moradores e vereadores de Itacurubi comentam a problemática de falta de água
07 de fevereiro de 2018 às 11:38
Moradores e vereadores de Itacurubi comentam a problemática de falta de água
Situações de falta de água na cidade de Itacurubi é registrada há quatro meses (Foto: Jéssica Ourique)

Após receber ligações de pessoas da comunidade de Itacurubi e ouvir que parte da cidade está enfrentando problemas de falta de água, a reportagem do Grupo Fronteira Missões esteve visitando a população e autoridades itacurubienses para buscar esclarecimentos. Em contato direto com os moradores, pode-se perceber a preocupação com o problema e obteve relatos de que a parte alta da cidade enfrenta problemas de água há vários meses, que a população já passou semanas e dias sem água, bem como, e em alguns casos chega a parte da tarde, no horário das 17 horas, a água esgota das torneiras.

O morador Eni Rocha da Silva falou: – “Frequentemente falta água na nossa região, pedimos informações através de redes sociais e de boca em boca e até agora nada. Ouve se dizer que irão abrir um poço, segundo o que sabemos, o poço deverá atingir o Aquífero Guarani, e neste caso, não é fácil conseguir licença, mas eles dizem que já tem licença, que seria pra final de janeiro, nós já estamos em fevereiro e nada. Na semana passada, faltou três dias água, ficamos sem uma gota d’água em casa”.

Questionado sobre alguma tentativa oficializada de informações, Eni evidenciou: – “A gente busca diálogo, mas sabemos que com esse pessoal da prefeitura não tem diálogo nenhum, a gente cobra do secretário, do assessor, do pessoal da água, todos tem uma explicação só, que uma hora é bomba, outra hora está faltando água”.

Ele ainda informou que todos os meses se paga a taxa mensal da água, gaste ou não, tem que pagar igual, e durante esse tempo sem água, não se teve descontos.

A itacurubiense Cátia, moradora do bairro Tio Nato, explicou os problemas acarretados pela falta de água e também a questão de abastecimento realizado na cidade. – “Eu acho uma falta de consideração com as pessoas mais pobres, não estão nem aí pra fazer manter a água todo dia, porque um dia tem água e outro dia não tem. Claro, eu consegui colocar uma caixa d’água, mas daí vem um vizinho e pede, como tu vai negar? Não vai negar água, nem sempre a gente tem, mas quando tem, aí a gente fornece, tem vizinhos que não tem condições de colocar uma caixa, acho que é preciso prestar mais atenção nisso”.

Ela contou que depois de uns quantos dias sem água, uma caminhão passou distribuindo água na cidade, mas não era de boa qualidade, bem como, reafirmou que todo mês estão pagando a taxa mensal correspondente a conta de água.

Antônio Pavão, conhecido como Miro, que mora do centro da cidade também se manifestou: – “Faz cerca de quatro meses que estamos com esse problema de água, principalmente, as parte alta da cidade e estamos pedindo uma solução por parte do prefeito e autoridades de Itacurubi para nós terminarmos esse problema, o pessoal até queria fazer uma manifestação, ir falar com o prefeito, mas fica indeciso e nós continuamos sofrendo”

O vereador presidente da Câmara de Vereadores, Diones Lourenço Camargo, expôs sua opinião sobre a situação da água na comunidade, dizendo que a situação é crítica e que o problema vem se estendendo há mais de quatro meses. Ele ainda informou e mostrou à reportagem o ofício de repasse de 150 mil reais da Câmara de Vereadores para a Administração para investir nas redes de água, mas até o momento o prefeito não fez nada a respeito, e não houve melhorias.

De acordo com o vereador Bruno Pavão, a Administração não esclarece nada a respeito da situação: – “Ficam naquele impasse, um diz uma coisa, outro diz outra, e isso vem se arrastando há mais de três meses”.

Questionado se ele havia conversado com o prefeito e o que obteve de resposta, ele disse: – “A última vez, fui informado que é uma bomba que tem trancada no poço, daí tentaram outros poços e não deram certo, pois não aguentaram a demanda, mas agora deu uma melhorada. Outro dia queimou uma outra bomba e daí sim, tiramos uns dois dias sem sair nada de água. A gente conversa, mas eles não declaram o que é, simplesmente dizem que é a bomba, é poço, é isso, aquilo e não definem nada” afirmou Bruno.

A reportagem relatou que esteve na prefeitura a procura do prefeito e secretário e o vereadores enfatizou: - “É incrível, não é só vocês, até o pessoal da comunidade, no interior, onde eu ando pergunta: O que preciso fazer para falar com o prefeito? E até para nós vereadores é complicado, sempre temos que marcar hora. Está complicado, a comunidade cobra, mas a gente fica de mãos atadas, dependemos de outras pessoas, e esse retorno nós não estamos tendo, é uma situação delicada e não tem o que fazer, porque a gente já falou, procurou e não temos retorno”.

Sobre o poço que está para ser feito, o vereador disse que depende de liberações e isso é algo demorado.
 
A reportagem do Grupo Fronteira Missões esteve na Prefeitura de Itacurubi e procurou falar com prefeito José Rubem Loureiro para esclarecer a situação e não foi possível ele atender. Também houve a tentativa de falar com o secretário responsável, mas não se teve retorno. Até o momento aguardamos um retorno da Administração Municipal.
 
 
OBS.: Confira a matéria completa e com os depoimentos completos na edição do Jornal Fronteira Missões do próximo sábado, dia 10. 
 
 

 

Por Jéssica Ourique

Fonte: Grupo Fronteira Missões