Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

Sobe número de mortes por gripe no Rio Grande do Sul

Prefeitura de Tupanciretã, na Região Central, confirmou óbito de menino de 12 anos. Ele morreu na tarde da última segunda-feira (2) e ocorrência não consta no balanço mais recente divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde.

06 de julho de 2018 às 14:12
Sobe número de mortes por gripe no Rio Grande do Sul
Vacina contra gripe no Rio Grande do Sul (Foto: Cristine Rochol/PMPA)

Subiu o número de mortes causadas por gripe no Rio Grande do Sul em 2018. A Prefeitura de Tupanciretã, na Região Central do estado, confirmou a morte de um menino de 12 anos. Segundo as autoridades do município, ele morreu na tarde da última segunda-feira (2).

No entanto, o caso não consta no balanço mais recente divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde, que indica oito óbitos. Procurada pelo G1, a assessora de comunicação da pasta informou que os boletins são divulgados semanalmente, conforme os dados são enviados pelas prefeituras.

Em entrevista coletiva em Tupanciretã, o prefeito Carlos Augusto Brum de Souza (PP) disse que o resultado do exame do Laboratório Central de Saúde Pública do estado (Lacen) confirmou que a morte do menino foi causada pelo vírus H3N2, um dos tipos da Influenza.

As demais mortes ocorreram em Porto Alegre, Vera Cruz, Canela, Gramado e Lajeado. Foram quatro registros pelo vírus H1N1 (Influenza A), um por H3N2 (Influenza B), um por Influenza A não subtipado e um por Influenza B.

Até o momento, os casos confirmados de gripe ocorreram em 38 municípios do estado. Ao todo, são 144 ocorrências. Outras 171 ainda estão sob investigação.

A campanha de vacinação, iniciada em 23 de abril, terminou no dia 22 de junho, sem atingir a meta de imunizar 90% dos grupos prioritários. Mas a Secretaria Estadual da Saúde orientou os municípios a liberar as doses remanescentes para serem aplicadas no público geral, independente de faixa etária.

A orientação é que seja reservado um quantitativo para que as gestantes possam se vacinar ao longo do ano, assim como a segunda dose para as crianças que receberam nesta edição a vacina pela primeira vez.

As autoridades ressaltam que a vacina é segura, sendo produzida por vírus mortos e fragmentados, ou seja, não há o risco de causar gripe nas pessoas. Ela protege contra três tipos de gripe - Influenza A (H1N1), A (H3N2) e B. Mesmo quem tomou nos anos anteriores precisa renovar a dose.
 

Fonte: g1