Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

Lar do Idoso de Santo Antônio foi beneficiado com valor financeiro repassado pelo Ministério Público do Trabalho
09 de janeiro de 2019 às 14:49
Lar do Idoso de Santo Antônio foi beneficiado com valor financeiro repassado pelo Ministério Público do Trabalho
Associação de Amparo ao Idoso deverá receber R$ 20.667,50 para o projeto “Casa Renovada” (Foto: Reprodução | Internet)

O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Uruguaiana reverteu indenização de R$ 27.500,00, paga pela empresa de alimentos Camil, em benefício de três projetos sociais de Alegrete, Santo Antônio das Missões e São Borja, municípios próximos à sede da empresa, em Itaqui.

Em Santo Antônio das Missões, a instituição beneficiada é a Associação de Amparo ao Idoso Padre Olmiro Hartamnn, que atende 38 pessoas. O MPT destinou R$ 20.667,50 para o projeto “Casa Renovada”, que objetiva reformar parte do prédio e realizar serviços de manutenção predial.

A presidente da entidade, Rozane Nilles, participará do programa Conversa Aberta da segunda-feira, dia 14, e falará sobre o uso deste recurso.

Em São Borja, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento fará o projeto “Afinando Cordas”, voltado a cerca de 60 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. O objetivo é inseri-las socialmente através do aprendizado de música. O valor destinado, R$ 5.269,56, deve ser revertido em acessórios de instrumento e contratação de professor.

O saldo restante, R$ 1.562,94, foi destinado ao projeto da Organização de Proteção Animal de Alegrete que objetiva castrar, a baixo custo, gatos e cães de famílias de baixa renda. Todos os projetos fazem parte de cadastro do MPT em Uruguaiana, atualizado em agosto de 2018 mediante chamamento público. Os beneficiados devem prestar contas dos projetos ao MPT.

A indenização por danos morais coletivos foi definida em Termo de Ajuste de Conduta (TAC), firmado pela Camil com o MPT em outubro de 2017, devido a irregularidades de meio ambiente de trabalho, como segurança no manuseio de inflamáveis e movimentação de carga. O TAC também prevê multas caso as irregularidades perdurem.​ O compromisso vale para todas as unidades da empresa no Rio Grande do Sul.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul