Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

Presidente da Conmebol indica uso do VAR desde o início da Libertadores em 2020
14 de maio de 2019 às 08:21
Presidente da Conmebol indica uso do VAR desde o início da Libertadores em 2020
Medida ainda pode esbarrar em dificuldades de alguns estádios, admitiu Domínguez (Foto: Patrik Stollarz)

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, afirmou na segunda-feira que a entidade deverá introduzir a arbitragem de vídeo (VAR) já a partir das fases iniciais da Copa Libertadores de 2020. O dirigente comentou sobre o assunto em Luque, no Paraguai, palco do sorteio da noite desta segunda-feira que vai efinir os confrontos das oitavas de final da competição continental e também os duelos do estágio seguinte da Copa Sul-Americana. "Vejo como inviável que a próxima Copa (Libertadores) não tenha VAR desde a primeira fase. Neste ano começamos a implementá-la pela primeira vez nas oitavas e continuaremos incorporando nesta linha", afirmou Domínguez, se referindo também ao fato de que a arbitragem de vídeo começará a ser utilizada nesta edição do torneio apenas a partir da próxima fase.

O dirigente admitiu que há "limitações" em alguns estádios para utilização do VAR na Libertadores, pois vários times atuam em arenas modestas e sem a estrutura ideal para o uso da arbitragem de vídeo. Porém, ele garante não ver "nenhum inconveniente" que possa inviabilizar a adoção deste recurso em todas as partidas da edição de 2020 da competição. "Eu fixo políticas, e a mim me trazem soluções. E até agora ninguém me falou de algum impedimento, nós daremos assistência", assegurou Domínguez.

Secretário adjunto da Conmebol, Gonzalo Belloso, também conversou com os jornalistas nesta segunda-feira no Paraguai e afirmou que a média de tempo de interrupções provocadas pelo uso do VAR nas partidas é de 30 segundos. E, para ele, esse período é curto se for comparado, por exemplo, ao tempo perdido, em média, com "as cobranças de escanteio que levam oito minutos por jogo e de laterais que levam cinco".

 

Fonte: Correio do Povo