Área indígena em São Miguel das Missões recebe certificado internacional de patrimônio do Mercosul
09 de fevereiro de 2019 às 10:28
Área indígena em São Miguel das Missões recebe certificado internacional de patrimônio do Mercosul
Município foi reconhecido como local sagrado para o povo Guarani (Foto: Mauro Vieira/Ministério da Cidadania)

Um área construída e habitada por ancestrais indígenas em São Miguel das Missões, na Região Noroeste do estado, recebeu o certificado internacional de patrimônio do Mercosul, nesta sexta-feira (8). O ministro da Cidadania, Osmar Terra, participou da entrega. A Tava, local sagrado para o povo Guarani, está na área que corresponde ao Sítio Histórico de São Miguel Arcanjo.

"Não existe fronteira de Brasil, de estado e de município no nosso conceito Guarani. É com isso que nós vivemos nesse território. Esse espaço para nós é muito sagrado. Derramou-se muito sangue e mesmo assim estamos vivendo e resistindo. Que tenha esse olhar de respeito, de fortalecimento e de reconhecer de fato a presença e a continuidade da vida do povo Guarani e das nossas futuras gerações", disse o coordenador da Comissão Guarani Yvyrupa, Marcos Tupã.

Esta foi a primeira ação da campanha do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) que tem como objetivo valorizar a cultura da Região Sul.

"Esse é um lugar que tem essa energia muito especial. Quando o Iphan foi criado 82 anos atrás, este foi o primeiro lugar de tombamento, como patrimônio imaterial. O museu aqui em frente é uma joia, um orgulho nosso. Trabalhamos muito para que essas pedras, esse local sagrado respeitasse a sua alma, porque ninguém pode separar o material do imaterial. Por isso, o reconhecimento da Tava pelo Iphan, o respeito à nação Guarani, o respeito a esse palco histórico, de lutas e disputas, para nós, um país multicultural, construído por todos. O patrimônio é diverso, é plural e une a todos", disse a presidente do Iphan Kátia Bogéa.

O lugar foi reconhecido como patrimônio da região no encontro da Comissão do Patrimônio Cultural do Mercosul, em outubro, no Uruguai.

A titulação significa o reconhecimento da presença ancestral dos Guarani no território Yvy Rupá, que hoje integra o Brasil, a Argentina e o Paraguai. Para os Guarani, os países reúnem uma grande rede étnica formada por aldeias, caminhos e locais sagrados. Transitar livremente por esse território, como fizeram seus ancestrais, é um dos fundamentos que os indígenas desejam preservar. A Tava também é registrada como Patrimônio Cultural do Brasil, pelo Iphan.

Na sexta, São Miguel das Missões também recebeu a primeira etapa da obra de requalificação urbanística do entorno do Sítio de São Miguel Arcanjo, com investimento aproximado de R$ 3 milhões, por meio do PAC Cidades Históricas. Estão previstas ainda a construção de ciclovias, faixas, sinalização, iluminação e adequações em praças da cidade.

"Nós queremos com os incentivos culturais, de todas as formas que nós pudermos ajudar, nós vamos cumprir essa etapa. Vamos reforçar esse trabalho grande que é feito no estado pelo Iphan. Tudo que representa este sítio será um investimento de R$ 70 milhões. Queremos, com investimentos culturais de todas as formas, cumprir rapidamente as etapas", afirma o ministro.

OBRAS DO ESTADO

Para todo o estado, o PAC prevê o investimento total de R$ 154,43 milhões. São 29 obras previstas em quatro cidades do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, São Miguel das Missões, Jaguarão e Pelotas. Do total, R$ 36 milhões já foram investidos em obras como a Restauração do Mercado Público, em Porto Alegre.
 
PATRIMÔNIO CULTURAL
Ao todo, a Região Sul possui mais de 150 bens tombados individualmente e 13 conjuntos urbanos tombados pelo Iphan, além de quatro patrimônios imateriais registrados: a Tava, lugar de referência para a memória e a identidade do povo Guarani (RS), o Fandango Caiçara (PR), a Procissão do Senhor dos Passos (SC) e as Tradições Doceiras da Região de Pelotas e Antiga Pelotas (RS).

TAVA
Para os Guarani-Mbyá, a Tava é um local onde viveram seus antepassados, que construíram estruturas em pedra nas quais deixaram suas marcas, e contém os corpos dos ancestrais que se transformaram em imortais; onde são relembradas as "belas palavras" de Nhanderu ("Deus Verdadeiro", na linguagem guarani).
 
A Tava também é considerada um lugar de referência por ser um espaço vivo que integra narrativas sobre a trajetória deste povo e é diariamente vivenciada como lugar de atividades diversas e de aprendizado para os jovens. Seu valor patrimonial reside na capacidade de comunicar temporalidades, espacialidades, identidades e elementos da cultura indígena cravada na história brasileira.
 

Fonte: G1